Sacrifício no altar com direito a sangue e tudo!


A palhaçada passo a passo



 As luzes se apagam e a música emocionante toca!



O gado se junta na entrada dos átrios.O berrante 
toca e a boiada anda.


Cada átrio tem um nome de uma causa impossível - emprego, casa própria, marido corno, espinhela caída... São 30 átrios. Clique para ampliar e ver, pois estou sem paciência...



 O último é Sucesso! (do bispo, claro!)


Agora deixa a grana ai...




Aqui faz igual na igreja católica. Molha o dedinho na água. Não! Igual não! São 7 tipos de água – do rio, do mar, da chuva, da cachoeira, do lago, do filtro, da fonte e da chuva.




No palco, fazendo a fila andar – para o gasofilácio, claro – estes dois camaradas vestidos de sacerdotes saduceus.



 Para finalmente, chegarmos ao ápice desta atrocidade. O sacrifício: Para cada clamor do povo é simulado um sacrifício, com direito a derramar sangue cenográfico e tudo em cima da coluna de sacrifício. Repare ainda o "bater cabeça" que é outro ritual do candomblé e do satanismo.


 "Vós sois do diabo, que é vosso pai, e quereis satisfazer-lhe os desejos. Ele foi homicida desde o princípio e jamais se firmou na verdade, porque nele não há verdade. Quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso e pai da mentira." João 8:44






O que é Haarp?

Havana (PL) - Parece um argumento de ciência ficção, mas é real: os Estados Unidos desenvolveram armas ultramodernas que podem influir nos meios naturais e modificar o entorno remoto de regiões inteiras.

Os devastadores terremotos de 7, 3 graus na escala sismológica de Richter, no Haití, em 12 de janeiro passado, e o ocorrido no Chile, em 27 de fevereiro, com magnitude de 8,8, reavivaram suspeitas de que ocorram catástrofes como resultado da intervenção humana.

Hoje, se tem certeza de que, em territórios já submetidos a fortes tensões, existe a possibilidade de provocar sismos induzidos, se se cria um brusco aumento da pressão intersticial mediante eliminação no subsolo de matéria em solução ou em suspensão, ou por extração de hidrocarburetos.

Enquanto alguns cientistas pensam em como utilizar esses movimentos telúricos induzidos para evitar fenômenos de maior magnitude, outros quiçá trabalhem em sentido oposto.

Em várias páginas da Internet, se mencionou que as experiências do denominado Programa de Investigação da Aurora Ativa de Alta Frequência (HAARP, por sua sigla em inglês), poderiam estar por trás dessa "fúria" da terra.

Fred Burks, que serviu de intérprete, dentre outros, aos ex-presidentes William Clinton e George W. Bush, revelou, num artigo que publicou em janeiro no sitio digital Examiner, que "existe um projeto ainda pouco conhecido", embora tenha levado décadas em aperfeiçoamento.

Mas advertiu que é um "importante programa de defesa militar dos Estados Unidos que gerou bastante controvérsia em certos círculos", através do qual se podem alterar seletivamente os modelos climáticos.

O HAARP é um apêndice da Iniciativa de Defesa Estratégica da Casa Branca, que pretende lograr a militarização do espaço como parte da Guerra nas Galáxias.
Burks o confirma em seu escrito: "muito poucas pessoas estão conscientes das capacidades horríveis de morte e destruição que se desenvolveu ao longo desses anos".

Por sua parte, a web oficial do HAARP o define como "um empenho científico" destinado a estudar as propriedades e o comportamento da ionosfera para otimizar as comunicações e os sistemas de vigilância, "tanto para fins civis como de defesa".

A ionosfera é a camada superior da atmósfera que está elétricamente carregada e se extende dos 85 aos 800 quilômetros acima da superficie da Terra.

Conhecida também como termosfera, absorve as radiações de menor longitude de onda e protege os humanos dos raios solares (ultravioleta, X, gama) que são nocivos à saúde.

O mesmo meio eletrônico do HAARP reconhece que se realizam ensaios que utilizam as frequências de impulsos eletromagnéticos a fim de "excitar temporalmente uma área limitada da ionosfera".

Todo "um programa, ao que parece, dedicado à investigação meteorológica, mas que muitos opinam que na realidade tem motivos mais sinistros", expressou Rob Ferrier, na sinopsis de um documentário sobre o tema realizado em 1999, citado no The New York Times.

Arrebentar a ionosfera

Foi uma ideia original do austro-estadunidense Nicola Tesla, quem, a principios do século XX, ideou interconectar o mundo através da atmósfera como um canal de comunicação global.

Em seguida a sua morte, em 1943, o Governo dos Estados Unidos interveio nos documentos de seu despacho e ainda os mantém sem desclassificar, explica a enciclopédia digital Wikipedia.

No entanto, um deles, de natureza militar, que pode ser utilizado com efeitos devastadores num raio de mais de 320 quilômetros, é o que se considera a base do muito secreto projeto HAARP.

De acordo com o Pentágono, se trata de uma investigação para aprender como "arrebentar a ionosfera", informa a página digital Rosa Blindada. Para o doutor Richard Williams, da Sociedade Americana de Física, isso é "um ato irresponsável de vandalismo global".

Estabelecido em 1992, o HAARP, baseado em Gokona, Alaska, utiliza uma série de antenas de alta potência que transmitem, através de ondas de rádio, quantidades maciças de energia para essa camada superior da atmosfera.

Sua construção foi financiada pela Força Aérea estadunidense, a Armada e a Agência de Projetos de Investigação Avançada (DARPA, por sua sigla en inglês).

Em fevereiro de 1998, em resposta a um informe da legisladora sueca Maj Britt Theorin, o Parlamento Europeu manteve audiências públicas em Bruxelas com relação ao programa HAARP.

A moção proposta, em virtude do profundo impacto sobre o meio-ambiente, como uma "inquietação global", apelava para que um corpo internacional independente examinasse "suas implicações legais, ecológicas e éticas"; não obstante, Washington se negou a esse escrutinio.

A Caixa de Pandora

O HAARP, com suas centenas de milhões de watts de potência e antenas, é conceituado como um verdadeiro "esquentador" da alta atmosfera, o que provoca uma ionização de consequências imprevisíveis.

Graças a seu efeito "espelho", poderia dirigir suas derivações para qualquer zona do planeta e é qualificado como "arma de destruição em massa", assinala Examiner num artigo de 27 de fevereiro, o mesmo dia do sismo de grande intensidade no Chile.

Num estudo de simulação de futuros "cenários" de defesa, se estabelece que as forças aeroespaciais norte-americanas estão obrigadas a "controlar o clima", mediante o aproveitamento das novas tecnologias, alega o professor canadense Michel Chossudovsky, no sitio Global Research.

Além da manipulação meteorológica, o HAARP tem vários usos conexos, porque os seres humanos poderiam ver afetadas suas ondas cerebrais, e assim se conseguiria modificar padrões de conduta, sublinhou.

Em 1977, uma Convenção Internacional, logo ratificada pela Assembleia Geral das Nações Unidas em 1997, proibiu "o uso militar ou outro de natureza hostil das técnicas de modificação ambiental que provoquem efeitos generalizados, duradouros ou severos". A Convenção Marco das Nações Unidas sobre Mudança Climática (UNFCCC), assinada na Cúpula da Terra, no Río, em 1992, também revalidou o acordo de 1977.

Os movimentos telúricos não só do Haití e do Chile, mas o de Sichuan, na China, em 2008, e o tsunami da Indonésia, em 2004, poderiam ser experimentos do HAARP ou de outro programa secreto? Qué tipo de armas mortíferas avançadas agora podem estar disponíveis?

"É inegável que o exército tem a capacidade de causar um tsunami, terremotos e furacões, e está na hora de empreendermos ações para difundir os perigos desse assunto vital", assinalou Fred Burks em Examiner.

"É um experimento do que poderia ser a arma das próximas guerras", tira como conclusão um artigo do sitio digital Cambio de Michoacán, com data de 3 de março. Ao passo que, um dos pioneiros nas denúncias sobre o projeto, Nicholas Begich, cientista de Anchorage, Alaska, disse que é "uma tecnologia altamente poderosa" de emissão de feixes de ondas radiais que, quando "replicam para a terra arrasam com tudo, vivo ou morto".

A evidência não é conclusiva, mas sugere que o HAARP está em funcionamento e, com o que se conhece até hoje acerca de suas capacidades destrutivas, as perguntas continuam no ar. Do que estão seguros, sim, os especialistas, é que comparam a potência ofensiva desse esquentador ionosférico com uma Caixa de Pandora que, uma vez aberta, será impossível fechar.



O Adventismo do sétimo dia

Introdução:
Não podemos pensar na origem dos "sabatistas" sem recordar os conflitos entre o apóstolo Paulo e os judaizantes. A luta entre o legalismo e o evangelho da graça de Deus é muito antiga. Continua em tempos modernos no vigoroso programa dos adventistas do Sétimo Dia. O sabatismo não é uma seita como, muita gente pensa: "uma denominação igual às outras, com a única diferença de guardar o Sábado". É uma seita perigosa que mistura muitas verdades bíblicas com erros tremendos no que se refere as doutrinas cristãs ou interpretações de profecias.

Origem do Adventismo:
Duas das Igrejas que estaremos estudando neste trimestre podem traçar sua origem nos ensinos de Guilherme Miller, embora não tivesse fundado nenhuma delas. São as Testemunhas de Jeová e os Adventistas do Sétimo dia.

a) Síntese Histórica:
No princípio do século dezenove houve um despertamento de interesse pela Segunda vinda de Cristo entre os cristãos. Guilherme Miller, pastor batista no Estado de Nova Iorque, dedicou-se ao estudo detalhado das escrituras proféticas. Convenceu-se de que Daniel 8.14 se referia à vinda de Cristo para "purificar o santuário". Calculando que cada um dos 2.300 dias representava um ano, tomou como ponto de partida a carta de regresso de Esdras e seus compatriotas a Jerusalém e 457 a.C., e chegou à conclusão de que Cristo voltaria à terra em 1843, Isto foi em 1818.

b) O fracasso de Miller:
Por um quarto de século, Miller proclamou a mensagem para classes especiais a cristãos de diferentes Igrejas. O interesse dos crentes em relação à mensagem era crescente e o número deles ia de cinqüenta a cem mil pessoas preparando-se para o fim do mundo. Muito crentes doaram suas lavouras, e se prepararam para receber o Senhor no dia 21 de março de l843. Chegou o dia e o evento esperado não aconteceu.. Miller revisou os seus cálculos, descobriu um erro de um ano. Devia ser no dia 21 de março de l844. Ao chegar essa data, nada aconteceu. Uma vez mais um novo cálculo indicou que seria o dia 22 de outubro de mesmo ano. Porém essa previsão também falou.

c) O Arrependimento de Miller:
Guilherme Miller, dando toda a prova de sua sinceridade e honradez, confessou simplesmente que se havia equivocado em seu sistema de interpretação bíblica. É preciso certa grandeza de alma, ou graça do Senhor para reconhecer abertamente seu próprio erro. Miller a teve e não mais tratou de defender a interpretação que havia proclamado por um quarto de século. Porém nem todos os seus discípulos estavam dispostos a abandonar a sua mensagem. Dos muitos que o haviam seguido, três se uniram para formar uma nova Igreja, baseada numa nova interpretação da mensagem professada por Miller.

O desenvolvimento da seita
O dia depois "da grande desilusão", Hiram Edson um fervoroso discípulo e amigo pessoal de Miller, teve uma "revelação". Nela compreendeu que Miller não estava equivocado em relação a data, mas sim em relação ao local. Disse que Cristo havia entrado no dia anterior no santuário celestial, não no terrenal, para fazer uma obra de purificação ali. Edson partilhou com outros membros de seu grupo as "boas-novas". Outros dois grupos se uniram a essa nova revelação: um dirigido por Joseph Bates que dava ênfase a guarda do Sábado e outro dirigido por Hellen G. White, que dava ênfase aos dons do Espírito.

a) As revelações de Helen White:
As revelações de Helen White tiveram muito que com a formação das doutrinas dos adventistas, e seus escritos prolíficos contribuíram grandemente para a expansão da Igreja. Ela e seu esposo disseminaram amplamente seus ensinos proféticos e doutrinários por meio de revistas e livros. Embora a Igreja adventista afirme que a Bíblia é sua autoridade doutrinária, ainda crê que Deus inspirou Helen White em sua interpretação das Escrituras e em seus conselhos, conforme se encontram em seus livros.

b) Obras da Sra White:
Como já dissemos, os livros da Sra. White são considerados "inspirados" por Deus e no mesmo nível da Bíblia, que citam apenas para comprovar o que ensinam, buscando versículos ou passagens isoladas. O livro "o grande conflito" é considerado a obra prima da Sra. White e recomendam-no largamente. Tal livro já foi editado em mais de 30 línguas com uma vendagem superior a dois milhões de exemplares. Entre outras obras, as mais importantes são: Vida de Jesus, Patriarcas e Profetas, Veredas de Cristo, O desejado de Todas as Nações.

c) Os nomes da Seita:
Os adventistas do sétimo dia já usaram através dos tempos os seguintes títulos: Igreja Cristã Adventista (1855); Adventistas do Sétimo dia (1860); União da Vida e Advento (1864);Igreja de Deus Adventista (1866); Igrejas de Deus Jesus Cristo Adventistas (1921); Igreja Adventista Reformada; Igreja Adventista da Promessa; Igreja Adventista do sétimo dia ( Atual). Existem outros grupos como Igreja Adventista da Promessa, Igreja Adventista do pacto, etc, porém o mais importante é a Igreja Adventista do Sétimo dia, conhecida como Sabatista ou Sabatismo.

As doutrinas do Adventismo
Os sabatistas misturam algumas verdades com seus abundantes erros, daí poder enganar aos que com sinceridade se lançam em busca da verdade. Normalmente, citam a Bíblia, porém sem o cuidado de examinar o contexto. Embora muitas de suas doutrinas sejam ortodoxas, existem outras que desviam o crente do caminho real. Convém que os membros das Igrejas evangélicas conheçam essas doutrinas e saibam como refutá-las, tendo em vista que eles também se dedicam ao proselitismo entre as Igrejas Evangélicas. Veja Mt 23.15

a) A expiação incompleta:
Os adventistas ensinam que Jesus entrou no santuário celestial no ano de 1844, e agora está cumprindo a obra de expiação. Esta doutrina a expiação incompleta e contínua é uma tergiversação das Escrituras num esforço para justificar as previsões errôneas de Miller. Não duvidamos da sinceridade dos que creram haver achado uma solução para o problema nessa "revelação" de Edson, porém ela não concorda com as Escrituras. A Bíblia ensina que Jesus penetrou no santuário celestial ao ascender ao céu e não no ano de l844. (Hb 6.19,20;8.1,2; 9.11,12, 23-26; 10.1-14).

b) Nossos pecados lançados sobre Satanás?
Os adventistas ensinam que o bode emissário (ou bode para azazel) de Levíticos 16.22,26 simboliza Satanás. Todas as nossas iniqüidades serão carregadas pelo diabo. Segundo eles durante o milênio, Satanás, levará sobre si a culpa dos pecados que fez o povo de Deus cometer, e será confinado e esta terra desolada e sem habitantes. Parece fantástico que alguém que se diz evangélico aceite doutrina tão contrária ao evangelho. Será que não se dão conta das implicações de tal ensino? Isto faria o diabo nosso co-salvador com Cristo, a expiação de nossos pecados seria realizada em parte por Cristo e em parte por Satanás. O simbolismo real desta passagem mostra Cristo levando sobre si os nossos pecados. Veja Jo 1.29; Is 53.6; Hb 10.18; J0 19.30; 2 Co 5.21; Rm 8.32.

c) O Sono da Alma:
Os adventistas ensinam que as almas dos justos dormem até a ressurreição e o juízo final. Este "sono da alma" é um estado de silêncio, inatividade e inteira inconsciência" . Baseiam esta crença principalmente em Eclesiastes 9.5, que diz: "Os mortos não sabem coisa nenhuma". O contexto demonstra que o autor deste versículo está falando sobre a relação dos mortos com a vida terrena e não sobre o estado da alma depois da morte. Leia os versículos 4 a 10 desse capítulo. Provas bíblicas da consciência da alma depois da morte acham-se nas palavras de Paulo quando diz que ao deixar o corpo estaria com o Senhor, cf. Fp 1.23,24 2 Co 5.1-8). Veja também Lc16.19-31; Lc 23.43. No monte da transfiguração, Moisés não estava "silencioso, inativo e totalmente inconsciente" enquanto falava com Cristo, cf. Mt 17.1-6. Veja ainda Ap 6.9-11. Etc.

Outras crenças errôneas
Normalmente, as crenças de uma seita ou religião baseiam-se em motivos muito fortes relacionados a experiências de seus fundadores, ou livros escritos e interpretados por eles. Nesse caso, os escritos dos fundadores tornam-se regra de fé e prática. No adventismo, como em outras seitas, temos verificado que os escritos de seus fundadores continuam sendo seus sustentáculos doutrinários, independentes da Bíblia.

a) A aniquilação de Satanás e dos maus:
Os adventistas ensinam que Satanás seus demônios, e todos os maus serão aniquilados, completamente destruídos. A Senhora White diz que a teoria do castigo eterno é "uma das doutrinas falsas que constituem o vinho das abominações da Babilônia". Jesus Cristo usou a mesma palavra para referir-se à duração das bênçãos dos salvos e os tormentos dos perdidos em Mt 25.46: Eterno. Além disso, ele não disse aniquilação eterna, mas castigo eterno. Veja Também Mc 9.43,44. Em Ap 14.10,11, vemos que os adoradores do Anticristo serão atormentados "e o fumo de seu tormento sobe pelos séculos dos séculos". Isto não parece com aniquilação. Confira ainda: Ap 19.20; 20.2,7,10,15 etc.

b) A observância obrigatória do Sábado:
Os adventistas ensinam que os cristãos devem observar o Sábado como o dia de repouso, e não o Domingo. Crêem que os que guardam o Domingo aceitarão a "marca da besta". A senhora White ensina que a observância do Sábado é o selo de Deus. O selo do Anticristo será o oposto a isto, ou seja, a observância do Domingo. Vemos, pois, que o Sábado é uma parte do pacto especial feito entre Deus e Israel (Ez 20.10-13). O próprio Moisés explicou que era uma memorial de sua libertação da terra do Egito. Ao repousar de seu trabalho semanal, deviam recordar como Deus lhes havia dado o repouso da dura servidão do Egito ( Dt 5.12-15).

c) O Sábado foi abolido:
A palavra profética previa a chegada do Novo Concerto (Jr 31.31-33) e o fim do Sábado (Os 2.11), que se cumpriu em Jesus(Cl 2.14-17). Por essa razão, o Sábado não aparece nos quatro preceitos de Atos 15.20,29. O texto de Colossenses 2.16,17 deita por terra todas as teses dos adventistas. Paulo parece que está escrevendo aos adventistas quando escreve aos Gálatas e trata de livrá-los dos enganos dos judaizantes que queriam fazê-los guardar a lei. O livro inteiro ressalta que a salvação não é pelas obras da lei, mas pela fé em Cristo. Faz menção da observância de certos dias como uma parte da escravidão da lei (Gl 4.3-11)./ Cristo é o fim da lei ( Rm 6.14; 10.4).

Conclusão:
O discutir com os adventistas não dá nenhum bom resultado. Estão bastante preparados para discutir e convidam a discussão. Recorde-se que as discussões somente fazem que a pessoa resolva defender melhor a sua própria doutrina. É quase certo que o adventista citará Ap 14.12 e 1 Jo 2.4, para provar que devemos guardar o Sábado. Para isto devemos mostrar-lhes quais são os andamentos de Deus no Novo Testamento. Que ele mesmo leia 1 Jo 3.23; Jo 6.29; Rm 4.5; Gl 2.16; Jo 13.34,35; 5.10 e Rm 13.8-10; Ap 22.14. Procure fortalecer sua fé na obra perfeita de Cristo e guiá-los a um repouso perfeito nele, fazendo-os ver que agora a pessoa pode ter a certeza da salvação.

Vacina matou mais do que surto de gripe

Em 1976, vacina matou mais do que surto de gripe suína nos EUA

Os americanos não têm uma boa lembrança do surto de gripe suína que atingiu o país em 1976. A doença causou apenas duas centenas de casos e uma morte, mas a tentativa de contê-la acabou deixando 500 doentes --e 25 mortos.

O pânico começou em fevereiro, quando o recruta David Lewis, 18, passou mal e morreu no meio de um treinamento na base militar de Fort Dix, em Nova Jersey. Exames revelaram que a causa da morte era um vírus de influenza suína H1N1. Dias depois, médicos acharam mais dois casos.

As autoridades de saúde americanas entraram em pânico. Essa cepa de vírus, acreditava-se então, era a mesma que havia causado a pandemia de gripe espanhola de 1918, que matou cerca de meio milhão de americanos.

David Sencer, diretor do CDC (Centro de Controle e Prevenção de Doenças), agência de vigilância epidemiológica americana, consultou infectologistas e decidiu que era necessário tomar medidas urgentes para evitar o pior.

Como o surto havia começado no fim do inverno (estação na qual a gripe ataca), a direção do CDC achava que uma campanha de vacinação em massa poderia proteger a população até o inverno seguinte. Estimava-se que uma epidemia de gripe suína poderia atingir entre 50 milhões e 60 milhões de pessoas nos EUA.

Em março de 1976, o CDC pediu ao presidente Gerald Ford que aprovasse uma campanha de vacinação. Ford aquiesceu e pediu ao Congresso que aprovasse antes de abril US$ 135 milhões para a imunização.

A vacina ficou pronta no tempo esperado, e a imunização começou no dia 1º de outubro. E foi aí que as coisas começaram a dar errado.

Ainda no começo do mês, começaram a surgir casos graves de reação à vacina. A imunização, descobriu-se, provocava um problema neurológico raro, a síndrome de Guillain-Barré, que causa perda de mielina (a "bainha" que envolve os nervos) e provoca paralisia facial --e, em alguns casos, morte.

E as mortes vieram. As primeiras foram registradas em 12 de outubro. No começo de dezembro, o governo decidiu interromper a vacinação.

Quarenta milhões de americanos, incluindo o presidente, haviam recebido a vacina.

Estudos posteriores constataram que o vírus, mesmo que se espalhasse, jamais seria tão violento quanto o de 1918. A cura matou mais que a doença, num caso que voltou a ser discutido nos EUA nos últimos dias --como um exemplo como não agir.

Heresias da Igreja Católica

Sinopse histórica em ordem cronológica das principais heresias da Igreja Católica

* Em 370, principia-se o uso dos altares e velas. Pelo fim do século IV, o culto dos santos foi introduzido por Basílio de Cesaréia e Gregório Nazianzeno. Também apareceu pela primeira vez o uso do incenso e turíbulo na igreja, pela influência dos prosélitos vindos do paganismo.
* Em 400, Paulino de Nola ordena que se reze pelos defuntos, e ensina o sinal da cruz feito no ar.
* Em 590, Gregório, O Grande, origina o purgatório.
* Em 607, o assassino Imperador Phocas dá ao Bispo de Roma o direito de primazia universal sobre a cristandade, depois do II Concílio de Constantinopla.
* Em 609, o culto à Virgem Maria é obra de Bonifácio IV, e a invocação dos santos e anjos é posta como lei da igreja.
* Em 670, começa a falar-se em latim a missa, língua morta para o povo, pelo papa Vitélio.
* Em 758, Cria-se a confissão auricular pelas ordens religiosas do Oriente.
* Em 787, no segundo Concílio de Nicea convocado a instâncias da infame imperatriz Irene, foi estabelecido o culto às imagens e a adoração da cruz e relíquias dos santos.
* Em 795, o incenso foi posto por lei nas cerimônias da igreja por Leão III.
* Em 803, foi criada a festa da Assunção da Virgem pelo concílio de Magúncia.
* Em 818, aparece pela primeira vez, nos escritos de Pascácio Radberto, a doutrina da transubstanciação e a missa.
* EM 884, o papa Adriano III aconselha a canonização dos “santos”.
* Em 998, é estabelecida a festa aos mortos, “dia de finados’’ por Odilon.
* Em 1000, a confissão auricular generaliza-se e os ministérios e os ministros da igreja arrogam para si o célebre “Ego te Absolvo’’. A missa começa a chamar-se sacrifício. E organizam-se as peregrinações (romarias).
* Em 1003, o papa João XVI aprova a festa das almas “fiéis defuntos’’ que Odilon criara primeiro.
* Em 1059, Nicolau II cria o colégio dos cardeais “conclave’’.
* Em 1074, o papa Gregório VII, aliás Hildebrando, decreta obrigatório o celibato dos padres.
* Em 1075 o referido Gregório VII exigiu que os padres casados se divorciassem de seus cônjuges e abandonassem seus filhos.
* Em 1076, é declarada a infalibilidade da igreja pelo mesmo papa.
* Em 1090, Pedro, o Ermitão, inventa o rosário.
* Em 1095, Urbano II cria as indulgências plenárias.
* Em 1125, aparece pela primeira vez nos cânones de Leão, a idéia da imaculada conceição de Maria, porém, São Bernardo de Clairvaux refutou tal idéia.
* Em 1164 Pedro Lombardo enumerara 7 sacramentos; enquanto que Jesus Cristo ordenara apenas dois.
* Em 1200, o Concílio de Latrão impõe a transubstanciação e confissão auricular.
* Em 1227, entra a campainha na missa por ordem de Gregório IX.
* Em 1229, o concílio de Toulouse estabelece a inquisição, que foi confirmada em 1.232 por Gregório X, e logo entregue aos dominicanos. Este mesmo concílio proíbe a leitura da Sagrada Escritura, ao povo.
* Em 1264, Urbano IV determina pela primeira vez a festa do corpo de Deus (Corpus Christi).
* Em 1300, Bonifácio VIII ordena os jubileus.
* Em 1311, inicia-se a primeira procissão do S. Sacramento.
* Em 1317, João XXII ordena a reza “Ave Maria’’.
* Em 1360, começa a hóstia a ser levada em procissão.
* Em 1414, o concílio de Constança definiu que na comunhão, ao povo deve ser dada a hóstia somente, sendo o cálix (copo) reservado para o padre. Os concílios de Pisa, Constança e Basiléia declararam a autoridade do Concílio superior à autoridade do Papa.
* Em 1438, o Concílio de Florença abre a porta ao purgatório que Gregório, o Grande, havia anunciado.
* Em 1546,o Concílio de Trento definiu que a Tradição é tão valiosa como a própria Palavra de Deus. E aceitou os livros apócrifos como canônicos.
* Em 1854, Pio IX proclama o dogma da imaculada conceição de Maria.
* Em 1870, o Concílio do Vaticano I, declara a infalibilidade do Papa.
* Em 1950, é proclamado o dogma da Assunção de Maria.

Qual é o plano da Nova Era?

A literatura da Nova Era se refere, com muita freqüência a "O PLANO". Esta expressão aparece também na GRANDE INVOCAÇÃO que seria uma oração modelo para os adeptos da Nova Era, como a oração do "Pai Nosso" para os Cristãos. Mas o que vem a ser O PLANO?

O Plano
1. Estabelecer uma nova religião mundial e uma nova ordem política e social.
2. A nova religião mundial será o renascimento do mistério da Babilônia.
3. O Plano será concretizado quando o messias da Nova Era assumir o controle, quando o número 666 será aplicado e a nova religião estabelecida.
4. Espíritos cósmicos irão ajudar a inaugurar a Nova Era e aclamar o homem-deus da Nova Era como mestre do mundo.
5. A paz mundial, amor e união serão slogans da religião.
6. O ensino da Nova Era irá abranger o mundo todo.
7. Líderes da Nova Era irão demonstrar que Jesus não era o cristo.
8. Cristianismo e outras religiões serão integradas na religião mundial.
9. Princípios cristãos serão desacreditados e eliminados.
10. Crianças serão seduzidas espiritualmente nas escolas para promoverem a Nova Era.
11. A humanidade será levada a crer que o homem é Deus.
12. Ciência e religião serão unificadas.
13. Cristãos que resistirem a este plano serão exterminados.

O Espírito do Engano

Recentemente um pastor de igreja evangélica me disse o seguinte :

- Nós (os salvos) não temos que se preocupar com isso! O seu trabalho até que é um pouco interessante, mas não vejo importância no que você está fazendo. Tenha um bom dia!

Espero que ele leia esse post, pois aqui está a resposta:

Muitas igrejas precisam mesmo é ser exorcizadas! O Espírito do engano está operando na terra mesmo antes de cristo. Mas somente com o início da nova ordem mundial no século XIX ele começou a trabalhar de forma mais intensa. Esse plano está divido em três partes distintas:

Parte I – A sua origem:

Para que o espírito do engano possa operar de forma eficaz nessa dimensão os aderentes da nova era praticam a cabala. A cabala pode ser resumida em uma fé sobre uma seqüência numérica para que um determinado plano de certo. Abdu’l’baha , além de conhecer profundamente a cabala, não escolheu o ano de 1912 por acaso para iniciar as suas viagens.

O governo mundial é regido em sua totalidade pelo número 12. Esse número representa a soma do número da besta de 10 chifres (AP 17:12) com o número da bestade 2 chifres (AP 13:11) , ou seja os 12 “apóstolos” do governo da besta do Abismo (AP 17:8) que foi representada na época por Abdu’l’ Bahá ( “o servo da glória” ). Somando tudo temos 13 pessoas envolvidas na nova ordem mundial, por esse motivo Abdu’l’Baha partiu em 1912. Somando o ano temos: 1+9+2+1= 13. Munido com essa “fé” ele partiu rumo a América, Europa e Inglaterra para colocar o plano da unicidade global em prática através de centenas de palestras.

Em uma de suas palestras ele confirmou que veio anunciar o governo mundial formado por 12 integrantes e Baha’u’llah (A glória de DEUS) como líder legislativo e espiritual supremo, sendo que esse não deve ser contado no reino material. Ele também pede para que não levem a sério qualquer supertição sobre o número 13.

Abaixo segue um trecho dessa palestra:

16 DE JUNHO DE 1912

Palestra na Residência do Sr. e Sra. Howard MacNutt
Eastern Parkway, 935, Brooklyn, Nova Iorque
(Depois, falando de números) Tais suposições a respeito de números de sorte ou sem sorte são puramente imaginárias.


A superstição sobre o número treze tem origem no fato de que Jesus era cercado por doze apóstolos e que Judas Iscariotes era o décimo terceiro membro do grupo. Esta é a origem da superstição, mas é algo puramente imaginário.....Doze é o número original de significação e completude.

Jacó tinha doze filhos, dos quais descendem doze tribos. Os discípulos de Jesus eram doze; os Imames de Muhammad eram doze. Os signos do zodíaco são doze; os meses do ano são doze, etc.

Os mistérios dos Livros Sagrados foram explicados na manifestação de Bahá'u'lláh. Antes de Seu aparecimento, esses mistérios não eram compreendidos. Bahá'u'lláh abriu e desselou esses mistérios

Abdu’l’Bahá também realizou muitas palestras em [1] diversas Igrejas Cristãs que hoje deram origem praticamente a quase todos os segmentos evangélicos dos dias atuais. Os líderes das igrejas cristãs na época não deram ouvidos a palavra de DEUS que diz:

Se alguém vem ter convosco, e não traz esta doutrina, não o recebais em casa, nem tampouco o saudeis. (II João 1 : 10)

Ao receber Abdu’l’bahá e concordarem com seus ensinamentos dizendo: “ Amém” , o espírito do engano , sobre a regência dos números sagrados da cabala, entrou nessa dimensão e começou a manifestar-se de diversas formas. O resultado de tudo isso é o que estamos vendo hoje...

Parte II – A influência espiritual dentro das igrejas

O dois links abaixo são um exemplo de como o Espírito do engano cega as pessoas que não confirmam se os ensinamentos da sua igreja estão de acordo com a Bíblia:

http://www.cpr.org.br/testemunho_de_silvana_mara_rodri.htm

No site BJCV entre em web notícias e procure pelo artigo “crente vaca de presépio” e “língua estranha”

http://www.bjcv.blog.br/

Parte III – O objetivo final.

Certa vez perguntaram ao Senhor Jesus sobre como seria a sua vinda, e ele respondeu:
Então aparecerá no céu o sinal do Filho do homem; e todas as tribos da terra se lamentarão, e verão o Filho do homem, vindo sobre as nuvens do céu, com poder e grande glória. (Mateus 24 : 30)

Certa vez perguntaram a Baha’u’llah sobre como seria a sua vinda, e ele respondeu:
Então aparecerá no céu o sinal do Filho do homem; e todas as tribos da terra se lamentarão, e verão o Filho do homem, vindo sobre as nuvens do céu, com poder e grande glória. (Mateus 24 : 30)

Os dois usaram a mesma justificativa, mas a volta do Senhor Jesus se refere a batalha do Armagedom. Baha’u’llah também realizará sinais, mas antes do tempo do fim. Ora, se uma determinada Igreja (não importa o nome que receba) ensinar apenas MT 24:30 e não complementar o ensinamento lendo o Apocalipse cometerá o erro de adorar a Besta no lugar do Senhor Jesus, e por esse motivo o espírito do engano está tão operante nos dias atuais.

Jesus, porém, respondendo, disse-lhes: Errais, não conhecendo as Escrituras, nem o poder de Deus. (Mateus 22 : 29)

A Verdade sobre o Sábado

MUDANÇA DA LEI E A LEI DA GRAÇA

Em Romanos 3:31, nos diz: “Anulamos, pois, a lei pela fé? De maneira nenhuma, antes estabelecemos a Lei”. Baseados nesse texto nos é afirmado pelos Adventistas que a Lei não foi abolida e que “Lei” se refere ao Decálogo (Os dez mandamentos Êx. 20). Pois bem, seguindo esse suposto raciocínio (pois o texto acima precisa ser analisado no seu contexto), leiamos: “Porque, mudando-se o sacerdócio, necessariamente se faz também mudança da Lei”(Hb.7:12). Nesse capítulo sete de Hebreus trata-se da mudança de sacerdócio, ou seja, do arônico para o de Melquisedeque: “segundo a ordem de Melquisedeque”, então vemos que, de acordo com os Adventistas, que afirmaram que em Rm.3:31 a lei é o decálogo, então o é aqui também, pois pode até ser o mesmo Paulo que esteja falando. Sendo assim toda a Lei, inclusive o decálogo foi mudado. Vejamos em II Cor. 3:14: “Mas os seus sentidos foram endurecidos. Porque até hoje o mesmo véu está por levantar na lição do Velho Testamento, o qual foi por Cristo abolido (Abolir significa: “Revogar, anular, extinguir, suprimir”). Então surge a pergunta: Ficamos sem Lei? Podemos fazer o que quisermos? A resposta é: Negativo, não ficamos sem Lei, mas recebemos junto com o novo pacto uma lei mais tremenda e superior (Hb.8:6) do que algum Adventista jamais sonhou. Leiamos em Romanos capítulo 8:2 “Porque a Lei do espírito de vida, em Cristo Jesus, me livrou da Lei do pecado e da morte”. Aleluia! A nossa nova Lei é a do Espírito de Vida, pois que anda no Espírito não entra em condenação (Rm.8:1), estamos na Graça – na Dispensação do Espírito Santo, leiamos: “Como não será de maior glória o ministério do Espírito”(IICor.3:8). Lá em romanos nos fala de uma lei, a do pecado e da morte (Rm.8:2), vejamos que lei é esta. “O qual nos fez também capazes de ser ministros dum Novo Testamento, não da Letra(lei), mas do espírito; porque a letra(lei) mata e o espírito vivifica. E, se o ministério da morte, gravado em pedras, veio em glória, de maneira que os filhos de Israel não podiam fitar os olhos na face de Moisés, por causa da glória do seu rosto, a qual era transitória, como não será maior glória o ministério do espírito? Porque, se o ministério da condenação foi glorioso, muito mais excederá em glória o ministério da justiça. Porque também o que foi glorificado nesta parte não foi glorificado, por causa desta excelente glória. Porque, se o que era transitório foi para a glória, muito mais é em glória o que permanece”. Então, de acordo com Paulo, qual era o ministério da morte? Paulo diz que era o gravado nas tábuas dada a Moisés, ou seja, o Apóstolo mais consagrado da Bíblia esta afirmando que a Lei dada no monte Sinai era o ministério da morte e transitório(passageiro). Por isso nos é deixado claro que a Graça é outra coisa, é a realidade da sombra. Vejamos: “Portanto ninguém vos julgue pelo comer, ou pelo beber, ou por causa dos dias de festa, ou da lua nova, ou dos sábados (sabbaton, referindo-se ao sétimo dia), que são sombras das coisas futuras, mas o corpo é de Cristo” (Cl.2:16-17). Aqui Paulo mostra que a Velha aliança era apenas uma sombra e nessa realidade nos vemos o Decálogo representado pelo quarto mandamento – E TUDO ISSO ERA SOMBRA DE UMA REALIDADE BEM MAIS ELEVADA E ESPIRITUALIZADA.

QUAL É A REALIDADE DO SÁBADO?

Se o Sábado é uma sombra há uma realidade. Não quero fazer apologia do Domingo, que é certamente e literalmente tido como o dia do Senhor (Ap.1:10), mas precisamos entender a revelação. O texto de Colossenses nos afirma que as sombras do vrs.16 é Cristo e sendo assim concluímos que Cristo é a realidade do Sábado. Isso é tão verdade que o autor aos Hebreus o confirma: “Porque nós, os que temos crido (em Cristo), entramos no repouso (Sábado ou descanso)... Porque em certo lugar disse assim do dia sétimo: E repousou Deus de todas as suas obras no sétimo dia”(Hb.4:1-4). Ou seja, o autor aos hebreus está dizendo que o nosso descanso ou Sábado é Cristo Jesus, por isso o Senhor se declara Senhor do Sábado (Mt.12).
A realidade sabática é viver em Cristo – o nosso descanso, e não ficar “legalistamente” guardando um dia, pois quem tem Jesus tem a realidade.

COLOSSENSES 2:16

“Ninguém, pois, vos julgue pelo comer, ou pelo beber, ou por causa de dias de festa, ou de lua nova, ou de sábados, que são sombras das coisas vindouras; mas o corpo é de Cristo” (Cl.2:16-17).

Para fugir à evidência de Cl.2:16-17, onde Paulo se refere ao Sábado semanal como integrante das coisas passageiras da Lei que terminaram com a morte de Cristo na cruz, os adventistas costumam argumentar que a palavra “Sábado” não se refere ao sábado semanal, mas aos anuais ou cerimoniais de Lv.23. O que não é verdade, pois os sábados anuais ou cerimoniais já estão incluídos na expressão “dias de festa”. Esta indicação mostra positivamente que a palavra SABBATON, como é usada em Cl.2:16, não pode se referir aos sábados festivos, anuais ou cerimoniais. Sendo assim é difícil para os Adventistas sustentar a sua doutrina sabática, desde que temos visto que o Sábado pode legitimamente ser tido como “sombra” ou símbolo preparatório de bênçãos espirituais e não dogmas legalistas (vrs.17).

A LEI DO VELHO PACTO ESTÁ VIVA E NÓS MORTOS

Vejamos isso: “Não sabeis vós, irmãos (pois que falo aos que conhecem a lei), que a lei tem domínio sobre o homem por todo tempo que vive... Assim, meus irmãos, também vós estais mortos para a lei pelo corpo de Cristo, para que sejais doutro, daquele que ressuscitou dentre os mortos, afim de que demos fruto para Deus (Rm. 7:1,4) “Ora, se já morremos com Cristo, cremos que com ele também viveremos (Rm.6:8). Essa é a revelação, a Lei, o Velho Pacto estão vivos, mas somos nós que morremos com Ele pela fé e assim vivemos uma nova Dispensação. É tão simples que só não entende quem não quer entender. Não há necessidade de ficarmos supondo e supondo, e sim crermos no Apóstolo dos Gentios e aceitarmos a Graça de Deus. Se os "Sabalotras" querem guardar a Lei, nós não temos essa necessidade.

Explica o seguinte o Dr. G. Archer – enciclopédia Ed. Vida, pág. 125:

“...a verdadeira questão é se a ordem sobre o sétimo dia, o Sábado do Senhor, foi transferida (Hb.7:12), no NT, para o primeiro dia da semana, o Domingo, que a igreja em geral honra como o dia do Senhor. De fato, ele é também conhecido como Sábado cristão. O âmago ou cerne da pregação apostólica ao mundo gentio e judaico, a partir do pentecostes era a ressurreição de Jesus (At.2:32). O ressurgimento de Cristo era a comprovação de Deus, perante o mundo, de que o salvador da humanidade havia pago o preço válido e suficiente pelos pecadores e havia superado a maldição da morte. O sacrifício expiatório eficaz de Jesus e sua vitória sobre a maldição da morte introduziu uma nova época ou dispensação da Igreja(Ef.1:10). Assim como a ceia do Senhor(I Cor.11:23-34) substituiu a Páscoa (Mt.26:17-30; Lc.22:7-23), na antiga aliança – “Porque isto é o meu sangue, o sangue do Novo Testamento (novo concerto, pacto, aliança)”. A morte de Cristo substituiu o sacrifício de animais no altar(Jo.19:30, Veja Levítico), o sacerdócio(arônico) (Êx.28), foi substituído pelo sacerdócio supremo de Jesus “segundo a ordem de Melquisedeque”(Hb.7) e fez com que cada crente se torna-se um sacerdote (Ap.1:5), também o quarto mandamento, dentre os dez, que pelo menos em parte tinha natureza cerimonial(Cl.2:16-17), deveria ser substituído por outro símbolo, mais apropriado à nova dispensação - O DOMINGO “Dia do Senhor”.

Os Dez Mandamentos e a Lei de Cristo

O “grande” argumento adventista é que; “os dez mandamentos não foram abolidos, por terem sido escritos nas tábuas, e por isso devemos guardar o sábado que é o quarto mandamento”. A questão é tão complexa que não daria para explanarmos tudo neste breve compêndio, mas precisamos salientar dois pontos cruciais para que o leitor pense e tire suas conclusões:

• Os adventistas argumentam que os textos de Ex. 20 se encontravam escritos nas tábuas trazidas por Moisés (vejam a foto do livro “Reflexões Sobre o Sermão da Montanha, pág.45)”. Isso, embora pareça certo, não é a verdade e os adventistas bem o sabem. A verdade é que o relatado em Ex.20 e Dt. 5 sobre os 10 mandamentos (que nem são idênticos em seus relatos) não se encontravam nas tábuas que Moisés trouxera do monte, pois assim descreve a Bíblia: “E ali esteve com o Senhor quarenta dias e quarenta noites... e escreveu nas tábuas as palavras da aliança, as Dez palavras” (Ex.34:28 – ARA. Obs: A corrigida traz a frase dez mandamentos, mas no seu rodapé coloca uma nota informando ser dez palavras). A verdade bíblica é que os dez mandamentos, além de fazerem parte da Lei, pois “Lei Mosaica e Lei de Deus” são as mesmas coisas – “Sendo que só há um legislador” (Tg.4:12), não se encontrava como afirmam os adventistas. Estamos explicando tudo isso para que o leitor entenda que o argumento que o decálogo é imutável até mesmo por Jesus não tem fundamento. Acredito que o que está descrito em Ex.20 e Dt.5 foi uma interpretação das palavras escritas nas tábuas. Por isso Jesus, como filho de Deus e messias, podia trazer para os homens uma melhor e mais espiritual interpretação do decálogo - e assim o “Rei dos Reis” procedeu.

• Outro ponto é que toda vez que os Adventistas lêem “mandamentos” no NT eles associam a palavra com o decálogo e quem conhece a Palavra sabe que isso é uma inverdade. Veja o que o NT quer dizer quando fala de mandamentos: disse Jesus – “Se me amais, guardareis os meus mandamentos”; “Aquele que tem os meus mandamentos” (João 14:15 e 21); “... relatando todas as coisas que Jesus começou a fazer e a ensinar, até ao dia em que, depois de haver dado mandamentos por intermédio do Espírito Santo...” (At.1:1-2). Entendamos que os discípulos sabiam muito bem o decálogo e todo o mais da Lei, mas a Bíblia diz que Jesus deu novos mandamentos , mandamentos estes que estão implícitos em todo o NT para que por eles vivêssemos nesta Nova Aliança. A Nova Aliança tem uma Lei própria – A LEI DE CRISTO OU A LEI DO ESPÍRITO (Rm. 8:2; ICor.9:21; Gl.6:2; Rm.3:27). É por essa Lei e no cumprimento desses Mandamentos que nós vivemos e exercemos a graça de sermos verdadeiros Cristãos. Lembremo-nos da exortação paulina: “Guardais dias, e meses, e tempos, e anos. Receio de vós tenha eu trabalhado em vão para convosco... De Cristo vos desligastes vós que procurais justificar-vos na lei, da graça decaístes” (Gl. 4:10-11; 5:4 – ARA).

Final dos Tempos

A Volta do Senhor, Porquê e Quando?

Na Bíblia, existem profecias relativas aos tempos futuros, cujo estudo chama-se "escatologia":
1.O Senhor Jesus voltará (At 1.11, Hb 9.28)
2.Os mortos ressuscitarão (Dn 12.2, Ap 20.6), e a igreja será arrebatada (1 Ts 4.16-17)
3.O juízo de Deus cairá sobre os ímpios (Ap 20.11-15)
4.O Paraíso será restaurado, para sempre (Ap 22.1-5)
Porque conhecer e estudar estes eventos? Como veremos adiante, nossa esperança de salvação não inclui apenas "escapar do inferno", mas sim, a bonança eterna, o convívio perpétuo com Deus e o livramento de toda e qualquer doença, morte ou tentação. Estas promessas nos animam e nos fortalecem em nossa fé diária.

PORQUÊ O SENHOR JESUS VOLTARÁ?

Quando a Bíblia menciona a volta de Jesus, refere-se á Sua "segunda vinda", desta vez em glória, como Rei, Julgador, bem diferente da sua primeira vinda, onde veio como menino em uma manjedoura. Evidentemente, sua segunda vinda é tão importante como a primeira. Muitos afirmam que "não podemos saber" o que irá acontecer, mas a Bíblia relata os eventos que se sucederão! Para que "esconder" as passagens bíblicas, afirmando que as desconhecemos? Só no Novo Testamento há cerca de 300 citações da volta de Jesus! Muitas passagens citam o "Reino dos Céus", ou "Reino de Deus", que são expressões bíblicas para os propósitos maiores de Deus, tanto relativamente ao presente, como ao futuro. O Senhor Jesus voltará, porquê:

1.A plenitude do Reino de Deus deve ser estabelecida, também sobre a terra, como já ocorre no céu: Dn 2.44-45, Ef 1.10, Ap 20.6
2.Há necessidade de justiça e julgamento sobre os atos humanos, inclusive sobre os governos: Is 1.27, Rm 2.5-8, 2 Co 5.10, 2 Ts 2.13, 2 Pe 2.9, Ap 18.1-24
3.Há promessas bíblicas, relativas a Israel, que ainda estão por cumprir: Is 4.2-6, 30.19-26, Is 35 (todo o capítulo), Rm 11, etc.
4.O "tempo da graça" (hoje) tem um fim estabelecido: Deus não permitirá que o homem, indefinidamente, continue abusando de Sua misericórdia e benevolência: Is 1.28, Ap 19.15
5.O propósito de Deus é manifestar sua soberania, de forma indiscutível, para que "todo joelho se dobre": Fp 2.10-11
6.Os cristãos tem promessas que a atual ordem mundial (governos, sistemas humanos, etc.) jamais poderão igualar, e que somente com a volta pessoal de Cristo serão satisfeitas: Dn 12.3, Is 2.2-4, 2 Pe 3.13
7.As profecias, tanto do Antigo como do Novo Testamento, mostram um "corte histórico" das atuações satânicas, da impiedade, da injustiça, da perseguição ao povo de Deus, etc.: Is 11.4-5, 2 Ts 2.8, 2 Pe 3.7, Ap 19.11-21, 20.10
8.Com a devassidão, muitos cristãos poderão perecer, se não houver uma interferência direta do Senhor: Mt 24.22, Mc 13.20

Muitos "porquês" do tempo presente serão esclarecidos! Se já estamos "satisfeitos" com a presente ordem mundial, ficaremos "acomodados" com o padrão humano e "mornos" espiritualmente. O Senhor não quer isto! Por isso, de longa data, Ele vem chamando nossa atenção para Sua intervenção direta nos acontecimentos históricos, e nos convida a preparamo-nos para este dia!

QUANDO O SENHOR VIRÁ?

Qualquer data é definitivamente proibida pela Bíblia (Mc 13.32, At 1.7). Não sabemos quando o Senhor virá, mas sabemos que Ele virá! Parece lógico supor que, se soubéssemos a data exata, iríamos nos "preparar melhor". Será? O Senhor conhece nossos corações, cuja dureza e incredulidade são manifestas, porém o Seu perdão e misericórdia, nos tornou lúcidos novamente, para as coisas espirituais. Não é uma "data" que nos tornará melhores! Para não nos deixar excessivamente angustiados, a Bíblia nos indica vários "sinais" de que a data está próxima, sendo alguns deles:

1.O saber e conhecimento científico seriam multiplicados: Dn 12.4
2.Fenômenos no céus (UFOS?): Lc 21.11
3.Guerras e rumores de guerra: Mt 24.6, Lc 21.9-10
4.Terremotos, calamidades, fomes: Mt 24.7, Lc 21.11
5.A pregação do evangelho a todo o mundo: Mt 24.14, Mc 13.10
6.O aparecimento do Anticristo: 2 Ts 2.1-5, Ap 13.1-8

Uma leitura cuidadosa dos jornais dos últimos anos, nos indicam que somente o último sinal (o Anticristo) ainda não ocorreu. Em conclusão: podemos afirmar, com base nas informações bíblicas e nos fatos atuais, que o Senhor está muito perto de vir! Um indício veemente que o Anticristo se prepara para estabelecer seu império, está na movimentação da "Nova Era", o movimento mundial que já proclama a vinda do "maytrea", aquele que fará a paz mundial e estabelecerá um reino humano, em contraste com o "Reino de Deus"!
Importante: quando o Anticristo vir, haverá confusão entre o Cristo legítimo e o Anticristo (vide Mt 24.23-27). Como saberemos então distinguir o verdadeiro Cristo?

1.Pelo resplendor: Mt 24.27, Ap 1.14
2.Pela verdade e justiça: Is 42.3-4
3.Pela glória e poder: Dn 2.44, Ap 1.16-18
4.Cristo somente virá após o Anticristo (logicamente, o que aparecer primeiro será o Anticristo!): 2 Ts 2.1-5

O Senhor Jesus não nos autorizou a marcar datas para Sua Vinda, mas ensinou-nos sobre os fatos repentinos que ocorrerão, e a necessidade de vigilância:

•Na parábola das dez virgens (Mt 25.1-13), 5 imprudentes se cansaram de esperar, enquanto as 5 prudentes estavam com óleo (símbolo do Espírito Santo). Repentinamente, o noivo chega, e as bodas só serão feitas com aquelas que tinham o óleo. Esta parábola sobre a necessidade de vigilância, para a Vinda do Senhor não nos pegar desprevenidos.
•O servo vigilante (Lc 12.35-48), trata daquele que se "acomoda" ao mundo e á situação rotineira. O cristão não pode perder de vista a perspectiva profética (ou seja, os eventos futuros), sob pena de "descansar e dormir", antes da vinda do Senhor. Novamente, a data ou a hora não importam, mas nossa condição espiritual !
•Em outros ensinos, o Senhor exortou-nos repetidamente sobre a necessidade de vigiar e orar, para não sermos envolvidos com a apostasia (significa "desvio da verdade") ou sono espiritual ("desleixo ou preguiça"): Mc 13.33-37, Ap 16.15.

Como Será a Volta do Senhor ?

A Volta do Senhor ("segunda vinda" ou simplesmente "Vinda"), apesar de repentina, será um período de acontecimentos históricos de, mínimo, 1.007 anos. Os principais eventos, numa possível sequência cronológica, serão (acompanhe o mapa "Panorama Profético"):

1.O início da "grande tribulação": Dn 12.1

Este período, de duração total de 7 anos, será estudado e analisado com maior profundidade

2.Primeira ressurreição: a dos crentes e arrebatamento da Igreja Mt 24.40-41, 1 Ts 4.16-17:

Repentinamente, Cristo nos chamará aos céus! Milhões de pessoas fiéis, em todo o mundo, desaparecerão, indo de encontro ao Senhor, nas nuvens! As sepulturas dos crentes serão escancaradas, todas de uma só vez, e os corpos, ressuscitados e glorificados, subirão junto conosco! Será um evento formidável, instantâneo, e chocará o mundo.

3."Tribunal de Cristo" e as "Bodas do Cordeiro" Rm 14.10, 2 Co 5.10, Ap 19.7:

Estes acontecimentos ocorrerão no céu, simultaneamente aos acontecimentos na terra. Todos nossos atos serão julgados, e receberemos "galardões", segundo nossa fidelidade á Cristo. Após este julgamento, se iniciará as "Bodas", isto é, a grande comemoração de nossa união (a Igreja, noiva) com Cristo (o noivo). Será uma festa e tanto, que não se pode comparar a nenhuma "festa" da terra, por mais bem feita que seja!

4.A Volta de Cristo á terra, junto com seus santos (nós!):

Quando todas as nações estiverem sitiando Jerusalém, ao fim dos 7 anos de tribulação (Ez 38.14-18), então Cristo virá, em pessoa, visivelmente, conosco! Zc 14.5. Salvará (literalmente) os judeus do extermínio definitivo. Seus pés pisarão o monte das oliveiras, que será rachado em dois! (Zc 14.4). Todos o verão, e, com poder extraordinário, acabará com as tropas leais ao Anticristo que cercam Jerusalém (Ez 38.19-39.7). Os judeus se converterão a Cristo, e começará uma restauração completa da terra, sacudida pelas catástrofes dos 7 anos anteriores! O próprio Anticristo será morto, pelo sopro da boca de Cristo! 2 Ts 2.8, Is 11.4.

5.Prisão de Satanás:

Imediatamente após a derrota das legiões do Anticristo, e a morte daquele, Satanás será preso. Alguns pensarão: porque não eliminá-lo imediatamente? Outros, ainda, talvez pensem que se deva dar um "perdão" ao causador de tanto dano! Sua prisão, como a história confirmará, será um fato para mostrar a todos que Satanás é "irrecuperável". Apesar de ficar preso por 1.000 anos, nenhum sentimento de arrependimento ou submissão lhe ocorrerá! "Depois disto é necessário que ele seja solto pouco de tempo" (Ap 20.3). Os homens terão a prova que já conhecemos: qualquer liberdade para Satã, corresponde á rebelião contra Deus e corrupção contra os homens.

6.Governo de Cristo por 1.000 anos ("MILÊNIO"):

Neste período, se cumprirão todas as profecias de bonança e prosperidade para Israel. Cristo governará pessoalmente a terra (Ez 34.11-31), e nós seremos governadores de cidades (1 Co 6.2, Ap 20.6). Algumas profecias a serem cumpridas neste período:

•Haverá paz, segurança, alegria e prosperidade (Is 32.15-18, 35); justiça e libertação do povo (Is 29.17-24)
•Jerusalém será a capital (Jr 3.17-19). Haverá julgamento sobre as nações (Jl 3)
•Nações pagãs, como Egito, Assíria e Etiópia, se converterão ao Senhor (Is 18.7, 19.18-25)
•Todo joelho (fisicamente) se dobrará ao Senhor (Is 45.22-23), e saberão que o Senhor é Deus (Is 49.26)
•Israel se reavivará e será uma nação unida (Ez 37), possuída pelo Espírito (Is 4.2-6)
•As pessoas terão vidas longas e prósperas (Is 65.17-25)
•Haverá festividades contínuas em Jerusalém (Mq 4.1-5)

•Os animais serão mansos: Is 11.6-8

1.Libertação de Satanás e última rebelião Ap 20.7-9:
Deus, conhecedor da incredulidade humana e sua obstinação, permite que Satanás seja solto. Invariavelmente, ele passa a seduzir as nações, para uma nova, e última rebelião contra o Reino de Deus.
Seduzidos por falsas promessas, as nações seguirão Satanás para sitiarem Jerusalém. Apesar do governo de Cristo ter sido absolutamente justo e perfeito nos 1.000 anos, muitos homens procurarão sua própria glória e poder, precipitando-se numa derrocada final. Podemos pensar: como poderão os homens, neste período, serem tão cegos a ponto de renegarem o governo divino? Infelizmente, o coração humano é corrupto, e desesperadamente enganoso (Jr 17.9). Aqueles que não se deixam serem limpos e lavados pelo sangue do Cordeiro, não podem salvar-se, mesmo que tentem, porque falta ao homem tal capacidade. Uma pessoa que rejeita a ação do Espírito de Deus em sua vida, está cometendo um crime contra si mesmo, contra sua natureza, pois o homem foi criado para ter comunhão com seu Criador! Esta última rebelião, agora do homem unido com o próprio Satanás, será a prova final de que é impossível a união da luz com as trevas! (2 Co 6.14,15). Durante 1.000 anos, os governos e os homens tiveram oportunidade de ver a Cristo e Suas obras - porém teimam em se rebelar! Será um pecado coletivo terrível, induzido pelo sedutor das nações - Satanás. A história dos 7 anos sob o governo do Anticristo não serão suficientes para convencer aos homens da inutilidade de buscar a rebelião contra o Criador! Evidentemente, nem todos os homens do mundo, neste final do período, se rebelarão. Haverá aqueles, e serão muitos, que estarão conosco nesta última batalha. O fogo do céu (a própria ira de Deus!), queima as legiões rebeladas, e Satanás é definitivamente lançado no "lago de fogo", onde ficará por toda a eternidade!

2.Segunda ressurreição (a dos ímpios) Ap 20.5,13:

Todos os incrédulos, de todas as eras, serão ressuscitados. Mas, não para salvação ou para a glória, e sim, para julgamento.

3.Julgamento do "Trono Branco" Ap 20.11,12:

Os ímpios ressurretos terão que ver, face a face, a quem rejeitaram. Suas más obras serão julgadas, para que ninguém tenha dúvida da justiça divina. O Deus de amor se revela aqui como o Deus da justiça e da ordem. Não haverá mais lugar para arrependimento, pois este tempo será o tempo do juízo final de Deus. Isto nos leva a refletir sobre a seriedade de nosso testemunho e da Palavra de Deus. Que ninguém se engane, pois de Deus não se zomba! Gl 6.7

4. Lançamento definitivo de Satanás, suas hostes e os ímpios, no "lago de fogo", onde ficarão por toda a eternidade Ap 20.10,14-15:

Faz-se uma completa separação entre a luz e as trevas. Satanás, suas hostes demoníacas e os homens ímpios, serão definitivamente separados da presença de Deus. Será eliminado, assim, toda a fonte de tentação e rebelião do homem. Aqueles que insistiram tanto tempo, apesar das muitas misericórdias de Deus, em rejeitar o perdão divino, terão seu fim onde quiseram ficar: longe de Deus, e na companhia do pior dos seres: Satanás.

5.Plenitude do Reino de Deus, pelos "séculos dos séculos":

Este período, que se estenderá por toda a eternidade, é aquele em que existirão "novo céu e nova terra" (Ap 21.1), cuja capital é a "Nova Jerusalém (Ap 21.2, 9-27). Não haverá mais noite, nem luz do sol, porque o Senhor brilhará sobre todos! (Ap 22.5). Contemplaremos a face do Mestre, e não haverá mais morte, dor, doença ou qualquer maldição! (Ap 21.4, 22.3-4).

A Grande Tribulação

A grande tribulação é um período de 7 anos, divididos em dois períodos:

1.os primeiros 3 anos e meio, onde haverá aliança entre o Anticristo e o povo de Israel, e uma certa "estabilidade" mundial;
2.os últimos 3 anos e meio, período de grandes eventos históricos, iniciando-se com o rompimento da aliança Anticristo-Israel e culminando com a vinda visível do Senhor Jesus.
Porquê estudar este período futuro?

•Ao pregarmos o evangelho, devemos alertar também sobre os perigos que a humanidade estará sujeita. Para isso, devemos conhecer o que está predito nas Escrituras.

•Entendendo que a ira de Deus se fará presente contra os homens, neste período, tomaremos todas as precauções espirituais possíveis para fazermos parte da igreja arrebatada, ou seja, daqueles que não passarão pela referida tribulação.

•Entenderemos também que "de Deus não se zomba", pois "tudo que o homem plantar, isto ceifará". Nenhum ato humano passa despercebido pelo Criador, e a entronização do Anticristo como dominador político e religioso deste mundo terá consequências terríveis!

•Finalmente, nos regozijaremos mais ainda no Senhor, pois Ele nos livrará deste período turbulento, pois seremos arrebatados antes de provarmos o que a humanidade merece!

A grande tribulação é tema de Ap 6 a 19, embora também seja tratada em outras partes da Bíblia, como Dn 12, Jr 30.4-9, Mt 24, entre outras passagens. Simultaneamente á tribulação, no céu, estaremos nós, onde ocorrerá o "Tribunal de Cristo" e as "Bodas do Cordeiro". Observe que o relato de Ap 6-19 trata de mostrar paisagens do céu e da terra, pois são eventos simultâneos (compare, por exemplo, Ap 11.3-13 com 11.15-18).

A Igreja do Senhor passará pela grande tribulação?

Não. O arrebatamento dos salvos os livrará de passarem este período na terra. Entretanto, a igreja nominal ("Laodicéia"), ficará retida, como na parábola das dez virgens, as quais 5 eram imprudentes e perderam a vinda do noivo, ficando "de fora". O ensino de Jesus em Lc 21.25-36 deixa bem claro que a Igreja escapará do castigo que o mundo sofrerá. A "redenção" no v.28 refere-se á redenção do corpo, mencionada em Rm 8.22-23, que é a trasladação do crente no momento do arrebatamento.

Isto não significa que, antes dos 7 anos, ou mesmo num período inicial, muito curto, os crentes não venham sofrer perseguição e angústia, conforme previsto em Mt 24.9. Entretanto, o período de "grande tribulação" é um período de juízos divinos, muito distinto do atual ou futuro sofrimento do povo de Deus, perseguido e discriminado pelo mundo. No presente momento, nosso sofrimento é por causa da ira do mundo, mas na grande tribulação, o sofrimento terá origem na ira de Deus.

Alguma confusão sobre a tribulação pode ser causada por textos como Ap 6.11. Entretanto, é necessário esclarecer que, após o arrebatamento da Igreja, só restará um povo, o judeu, para testemunho ás nações. Muitos judeus se converterão, e sofrerão por isso. Portanto, referidos textos se aplicam, exclusivamente, ao povo judeu convertido na época da tribulação, bem como aos gentios arrependidos naquele período.

OS PRINCIPAIS ACONTECIMENTOS NA GRANDE TRIBULAÇÃO

1.Aparecimento do Anticristo: 2 Ts 2.1-10

Dado a confusão cada vez maior no mundo, aparecerá um homem, líder político, que operará com grandes "prodígios e sinais" para comprovar seu poder. As nações, no seu desespero, darão suas forças e apoio a este super-homem. Haverá tentativas de se formar uma só religião. Este homem, chamado "maytrea" pela Nova Era, é o Anticristo bíblico! Logo ele se exaltará, e se proclamará "divino". Aqueles que questionarem sua autoridade absoluta, como os judeus
convertidos, serão mortos: Ap 6.9-11.
Este proferirá blasfêmias e se exaltará num regime autocrático. Não respeitará as leis, nem as religiões (Dn 12.37). Por meio de suas conquistas militares ele terá domínio sobre o Oriente Médio e se colocará como rei em Jersulalém (Dn 11.40-45).

2.Aliança entre o Anticristo e Israel (3 anos e meio) Dn 9.27:

Logo no início do seu governo, o Anticristo procurará uma aliança política e religiosa com Israel. Os próprios judeus, inicialmente, crerão que o "maytrea" é o Cristo tão esperado! Haverá vantagens especiais para os judeus, nos primeiros 3 anos e meio da aliança Israel-Anticristo: isto será proposital, para despertar o "ciúme" dos demais povos e nações. Na sua cegueira espiritual, Israel celebrará uma união com o próprio inimigo! Jerusalém, a capital religiosa do império Anticristo, será remodelada, e o templo de Salomão será restaurado, bem como as ofertas e sacrifícios. Mas o ódio entre os mulçumanos e judeus crescerá a um tal ponto que o Anticristo se aproveitará, para tentar completar seu plano de exterminar, totalmente, o povo judeu da terra. Devemos nos lembrar que Deus ainda tem muitos planos para os judeus, Ele não abandonou este povo, O ama e permitirá tudo isto para que se cumpra para que, finalmente, o povo judeu creia no Cristo Verdadeiro!

3.Rompimento da aliança Dn 9.27:

O Anticristo entrará no templo de Jerusalém e se assentará como "deus", exigindo a adoração de todos! (É a chamada "abominação desoladora" de Dn 11.36-39, 12.11). Nesta hora, os judeus se acordarão de sua cegueira de mais de 2.000 anos, e verão que foram enganados!

4.Perseguição aos judeus Mt 24.15-22, Ap 12.13-17:

O rompimento súbito do acordo Anticristo-Israel despertará uma onda de ira e vingança aos judeus, em todo o mundo, jamais vista até então. Muitos judeus se converterão, mas serão exterminados, assim que professarem sua fé em Cristo (Ap 17.6, Dn 8.24). Os anais da história nunca registraram uma perseguição tão feroz como a que há de vir sobre os judeus, neste período de 3 anos e meio, subsequentes ao rompimento do acordo! (Dn 9.27).

5.Flagelos sobre a humanidade Ap 6-16:

A ira de Deus será derramada na forma de juízos: guerras, mortes, fome, inflação, pragas, terremotos, poluição, queimadas de florestas, escuridão, doenças, destruição da vida marinha, calor, chuvas de meteoros, etc. Estes flagelos são descritos como "selos", "trombetas" e "flagelos" em Ap.

6.Armagedom Ap 16.13-16:

Os homens se unirão com o Anticristo para guerrearem contra Israel, sitiando Jerusalém (Zc 14.1-3), atribuindo seus flagelos á existência do povo judeu. Nesta hora, no 7o. ano da grande tribulação, o Senhor Jesus retornará, visivelmente, diretamente no monte das Oliveiras (Zc 14.4), para salvar o povo judeu do extermínio. Será o último momento histórico da grande tribulação, e o início do Reino Milenar de Cristo: a derrota das legiões do Anticristo , o livramento do povo judeu e a morte do próprio Anticristo, mediante o sopro da boca do Senhor Jesus! (2 Ts 2.8).

Haarp: Experimento com ondas de rádio

Luz natural de uma aurora boreal no céu de Anchorage, no Alasca



Um experimento que dispara poderosas ondas de rádio ao céu criou uma porção de “ionosfera artificial”, mimetizando a área mais exterior da atmosfera da Terra. A pesquisa não só fez pontos brilhantes surgirem ao redor desses trechos, como também produziu uma nova forma de refletir sinais de rádio ao redor do planeta.

O Programa de Pesquisa de Aurora Ativa de Alta Frequência (Haarp, no acrônimo em inglês), realizado nas proximidades de Gakona, Alasca (Estados Unidos), há quase duas décadas usa ondas de rádio para investigar o campo magnético e a ionosfera da Terra. Um dos resultados mais evidentes dos experimentos é a possibilidade de criar luzes no céu semelhantes a auroras, cortinas brilhantes de luz que aparecem naturalmente nos céus polares quando elétrons e outras partículas carregadas emanam da magnetosfera protetora da Terra em direção à atmosfera mais alta.

Lá, a uma altitude de cerca de 250 km, as partículas carregadas colidem com moléculas de oxigênio e nitrogênio emitindo luz, processo semelhante ao que ocorre no interior de uma lâmpada fluorescente. As ondas de rádio de alta frequência do Haarp podem acelerar elétrons na atmosfera, aumentando a energia de suas colisões e criando um brilho. A técnica havia previamente provocado pontos de luz a uma potência de quase 1 megawatt.
Mas desde que o aparelho subiu para 3,6 MW – cerca de três vezes mais do que um transmissor radiodifusor típico -, auroras artificiais completas ficaram visíveis a olho nu.

Alvos

Mas em fevereiro do ano passado, o Haarp conseguiu induzir um estranho padrão de alvos na noite celeste. Ao invés da esperada mancha circular imprecisa, faixas luminescentes irregulares irradiaram surpreendentemente do centro do alvo, conta Todd Pedersen, físico do Laboratório de Pesquisa da Força Aérea Americana, em Massachusetts, que lidera a equipe que conduz o experimento.

A equipe fez modelos de como a energia enviada aos céus do conjunto de antenas do Haarp provocaria essas formas estranhas. Eles determinaram que as áreas do alvo com padrões de luz estranhos eram regiões de gás mais denso, parcialmente ionizado, da atmosfera, conforme indicou um radar de alta frequência usado para monitorar a ionosfera a partir do solo. Os cientistas acreditam que essas porções mais densas de plasma possam ser gás que foi ionizado pelas emissões do Haarp. “Essa é a parte realmente excitante ¿ conseguimos criar um pequeno pedaço artificial de ionosfera”, diz Pedersen.

“A novidade não é ver a aurora, mas sim o fato de que podemos realmente criar elétrons de alta energia suficientes para formar plasma”, afirma Mike Kosch, da cátedra de Ciência Espacial Experimental da Universidade Lancaster, Inglaterra, que já trabalhou com Pedersen, mas não esteve envolvido no experimento. “Isso mostra algo completamente diferente e novo, que não esperávamos. Não sabíamos o que era possível fazer com emissões de rádio a partir do solo.” Os resultados da equipe estão publicados no periódico Geophysical Research Letters.

Aumento de potência

O sucesso do Haarp se deve ao fato de o mesmo operar a uma potência muito maior do que qualquer outro experimento similar em funcionamento, tal como a antena da Associação Científica Europeia de Radares de Dispersão Desconexa, que funciona na Noruega a 1,2 MW, explica Kosch. “Se isso tem ou não utilidade, já é outra história”, acrescenta, brincando que talvez um dia empresas possam contratar físicos para usar a tecnologia para escrever anúncios brilhantes no céu noturno.

Mas os custos de se criar uma aurora artificial seriam astronômicos, afirma – os gastos com energia para manter o Haarp funcionando em potência máxima ficam em mais de US$ 4 mil a hora. Aplicações mais sérias incluiriam criar uma camada de plasma artificial que possa refletir as comunicações de um submarino, por exemplo. A Força Aérea Americana, que financia o Haarp com a Força Aérea Britânica e outros, pode usar o plasma para refletir transmissões de rádio, estendendo-as a distâncias maiores ao redor do globo sem perda de potência, sugere Pedersen.

“Ao invés de depender totalmente da ionosfera natural para refletir ondas de rádio ou transmissões de ondas curtas”, diz Pedersen, “estamos agora alcançando a capacidade de produzir nossa própria pequena ionosfera”. Os resultados do experimento de fevereiro de 2008 “fazem esses conceitos parecerem possíveis”

Comentário de um usuário de chip

Bio chips

Sou hospedeiro, está em meu corpo desde dezembro de 2003.

Os sintomas são os seguintes :

- na cabeça aquecem .
- na orelha ficam tensas funcionam como antenas.
- provocam coceiras internas.

- nos olhos dão choque.
- fazem lacrimejar.
- fazem ressecar dando sono.
- acordam voce as 4 h da manhã dando choque.
- no nariz, fazem espirrar.


Você sente alguns estalos semelhantes estalos de rele eletronicos colocam em varios orgaos e veias e arterias e musculos sensores que são disfarçados em feridas.Você se torna um voodu,um fantoche constantemente ficam lhe acionando como se precisassem acionar para fazer contato ou não perder a sintonia atraves de radio frequencia RFID. Possuo jornal do bio chip estamos com cd room ao assunto a cada dia o google me atualiza com bio chips no mundo.

video

Hoje sou eu amanha quantos serão, ou seremos se não tomarmos uma atitude??? Deixar que cresça para depois combater?? Antes de opinarem, pesquisem são 66 nomes desses chips , labon chips,very chip,chip subcutaneo etc

Avatar e seu significado

Avatar é uma manifestação corporal de um ser imortal segundo a religião hindu, por vezes até do Ser Supremo. Deriva do sânscrito Avatāra, que significa "descida", normalmente denotando uma (religião) encarnações de Vishnu (tais como Krishna), que muitos hinduístas reverenciam como divindade.

Muitos não-hindus, por extensão, usam o termo para denotar as encarnações de divindades em outras religiões.

Avatar vem do sânscrito Aval, que significa "Aquele que descende de Deus", ou simplesmente "Encarnação". Qualquer espírito que ocupe um corpo de carne, representando assim uma manifestação divina na Terra.

A melhor definição vem de um antigo escrito indiano, Vedas:

"Avatara, ou a encarnação da Divindade, descende do reinado de Deus pela criação e manutenção da manifestação em um corpo material. E essa forma singular da Personalidade da Divindade que então se apresenta é chamada de encarnação ou Avatara. Tais Personalidades estão situadas no mundo espiritual, o reinado de Deus. Quando Eles transcendem para a criação material, Eles assumem então o nome Avatara. - Chantajar-caritativa 2.20.263 - 264.

Um avatar é uma forma encarnada de um Ser Supremo, e tais incontáveis formas divinas residem em um plano espiritual.

Quando essa forma despersonalizada de Deus transcende daquela dimensão elevada para o plano material do mundo, Ele - ou Ela - é conhecido então como a encarnação ou Avatara.

Em uma concepção mais abrangente, a encarnação poderia ser descrita como o corpo de carne. Mas essa concepção seria talvez errada, conquanto tais formas divinas não se tornam reais seres de carne e osso, ou assumem corpos materiais. Uma alma comum assume corpos matérias de carne e osso, mas no caso dessa manifestação divina, Seu corpo e Sua alma transcendem a matéria e embora apareçam como impersonalizações, aquele corpo também pertence a Sua essência espiritual.

Essa palavra Avatar se tornou popular entre os meios de comunicação e informática devido às figuras que são criadas à imagem e semelhança do usuário, permitindo sua "personalização" no interior das máquinas e telas de computador.

Tal criação assemelha-se a um avatar por ser uma transcendência da imagem da pessoa, que ganha um corpo virtual, desde os anos 80, quando o nome foi usado pela primeira vez em um jogo de computador.

Avatar sempre morreu. Mas a primeira concepção de Avatar vem primariamente dos textos Hindus, que citam Krishna como o oitavo avatar - ou encarnação - de Vishnu, a quem muitos Hindus adoravam como um Deus.